Área de atuação

imagem-areas-atuacao1

São oferecidos serviços na área da construção civil de acordo com as necessidades do cliente, buscando a melhor alternativa. As seguintes atividades podem ser desenvolvidas:

  • Obras de Terraplanagem
  • Obras de Drenagem
  • Obras de Pavimentação
  • Obras de Fundação
  • Obras de Saneamento
  • Obras de Concreto
  • Obras de Concreto Pré-Moldado
  • Obras de Impermeabilização
  • Estrutural e Hidráulico
  • Recuperação de Estrutura de Concreto
  • Edificação de Empreendimentos
  • Infra-Estrutura para Telecomunicações
  • Habitação
  • Iluminação Pública
  • Manutenção Elétrica
  • Expansão de Ruas Públicas

  • Infelizmente não conseguimos acessar as cotações

Notícias

  • Economia
  • Política
  • Educação

Quarta maior empresa de aviação, companhia pediu recuperação judicial para evitar perda de aeronaves. Avião da companhia aérea Avianca decola no Aeroporto Internacional São Paulo - Cumbica (GRU), em Guarulhos Celso Tavares/G1 Com o pedido de recuperação judicial formalizado, a Avianca Brasil enfrenta um quadro contraditório. A companhia, mesmo endividada, só conseguiu abocanhar uma fatia expressiva do mercado aéreo nos últimos anos - desde 2013, a participação da empresa dobrou. Entre janeiro e outubro de 2018, a Avianca Brasil transportou 10,265 milhões de passageiros e conseguiu 10,6% de participação do mercado, segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Em 2013, a fatia era de 5,3%. Esse desempenho fez a Avianca se consolidar no posto de quarta maior companhia aérea do país. "Não me incomoda, é opção", disse um dos fundadores da Avianca José Efromovich durante entrevista concedida ao G1 em 2013, ao ser questionado sobre a baixa participação da empresa no mercado nacional. "A Avianca é a que tem o melhor produto no país hoje. Falo isso com toda a tranquilidade." A empresa sempre gostou de se diferenciar das rivais por operar na contramão da fórmula de "baixo custo, baixa tarifa". Com o irmão German, José comanda a holding Synerg, dona da Avianca Brasil. Em 1998, os dois operavam a Ocean Air Táxi Aéreo. A entrada no mercado nacional de aviação só aconteceu em 2002, quando procuravam uma nova aeronave para substituir um avião que foi metralhado durante um assalto em Campos, no Rio de Janeiro. Desde 2004, o grupo Synerg também controla a Avianca Holdings, cuja sede é na Colômbia. A Avianca Colômbia tem capital aberto na bolsa de Bogotá e, embora tenha o mesmo nome da brasileira, é um empresa diferente. O nome Ocean Air só foi aposentado em 2010, numa movimentação que buscava integrar as duas companhias. "A mudança de nome não é cosmética, mas um gesto de afirmação, um passo fundamental para consolidar a empresa", disse Efromovich, à época. José Efromovich, presidente da Avianca Brasil Darlan Alvarenga/G1 No ano passado, a Avianca Brasil atuava em 28 aeroportos de 18 estados e em nove aeroportos de seis países, segundo a Anac. A frota era de 44 aeronaves e a empresa tinha 5,3 mil funcionários. Dívida em alta Nas últimas semanas, o descompasso financeiro da Avianca Brasil ficou evidente. A companhia aérea foi acionada judicialmente pelo não pagamento do arrendamento de aeronaves. Em apenas um dos processos movidos pela Constitution Aircraft, a Avianca Brasil foi acusada de deixar de pagar parcelas do arrendamento de 11 aeronaves. Na decisão, a Justiça proibiu a companhia de levantar voo com as areonaves e determinou busca e apreensão dos aviões. Avião da companhia aérea Avianca pousa no Aeroporto Internacional de São Paulo - Cumbica (GRU), em Guarulhos Celso Tavares/G1 A empresa acumula dívida de R$ 493,8 milhões, segundo o jornal Valor Econômico. A companhia tem justificado a piora operacional pela alta do dólar e pelo aumento do preço do combustível de aviação. Endividada e sem opção, a Avianca Brasil teve de entrar na justiça com o pedido de recuperação judicial na segunda-feira (10) para evitar que os aviões fossem retomados e atividade da companhia prejudicada. No pedido, a empresa argumentou que a retomada dos aviões ameaçava a viagem de cerca de 77 mil passageiros em dezembro e representaria a redução de 30% da sua frota. "A Avianca comunica que, em resposta à resistência de alguns arrendadores de suas aeronaves em chegar a um acordo amigável no processo de negociação em curso, a companhia entrou com um pedido de recuperação judicial para proteger seus clientes e passageiros e evitar qualquer impacto em suas operações", informou a companhia por meio de nota. Na noite de terça-feira (11), o juiz Tiago Henriques Papaterra Limongi concedeu tutela provisória de urgência para a reintegração de posse de um total de 14 aeronaves. Ou seja, a companhia pode seguir com as atividades normalmente. Fusão nunca saiu A fusão entre a Avianca Brasil e a Avianca Holdings nunca saiu do papel, embora sempre tenha sido aventada pelos irmãos Efromovich. Um grupo de trabalho chegou a ser criado para discutir a fusão, mas a união nunca foi adiante. Ao contrário da antiga Oceanr Air, a Avianca Holdings tem uma situação financeira mais confortável. No terceiro trimestre deste ano, lucrou US$ 14,1 milhões (cerca de R$ 54,2 milhões) Embora com operações separadas, as duas empresas chegaram a despetar o interesse da gigante United Airlines. Em fevereiro de 2017, a aérea norte-americana informou que estava avaliando um um investimento nas companhias, mas o negócio não foi adiante. A United já tem uma participação na Azul. Lamentações nas redes sociais Initial plugin text Nas redes sociais, desde que a notícia se recuperação judicial se confirmou, vários internautas publicaram mensagens de apoio. A empresa era descrita como "a melhor companhia aérea", com muitas postagens de desejo de sucesso no pedido de recuperação judicial.

País asiático deve registrar um salto na produção do adoçante nesta safra e pode tirar do Brasil o posto de maior produtor global. Armazém de açúcar no no Porto de Santos, SP José Claudio Pimentel/G1 A Câmara de Comércio Exterior (Camex) aprovou na véspera autorização para que o Brasil abra consultas no Órgão de Solução de Controvérsias da Organização Mundial do Comércio (OMC) para questionar a política indiana de apoio à exportação de açúcar. O país asiático deve registrar um salto na produção do adoçante nesta safra, com expectativa de tirar do Brasil o posto de maior produtor global da commodity. Em outubro, a Reuters revelou que os indianos devem embarcar açúcar pela primeira vez em três anos. A decisão brasileira vem após a Austrália também dizer à OMC que a Índia superou em muito os limites permitidos para subsidiar o setor açucareiro local. "A suspeita é de que o apoio doméstico e os subsídios à exportação concedidos pelo governo da Índia têm causado impactos significativos no mercado mundial de açúcar, em um cenário de preços em queda e diminuição da produção nos principais centros -- Brasil, China e Tailândia", afirmou o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços em nota. A Camex é subordinada ao ministério. "O governo brasileiro tem acompanhado o tema com preocupação", afirmou o comunicado, acrescentado que respostas dadas anteriormente pela Índia sobre sua política de apoio à exportação "não foram esclarecedoras". Seca afeta plantio de cana e Índia pode produzir menos açúcar em 2019/20 Setor de cana do Brasil encolhe com dificuldades financeiras, apontam bancos Em outubro, o Brasil abriu consulta na OMC contra restrições da China à importação de açúcar do país. Preço mínimo Segundo o governo do Brasil, a Índia implementa, desde a década de 1960, política de preço mínimo para a cana que visa a proteger os agricultores das oscilações do preço internacional do produto. Com respaldo em leis federais e estaduais, o governo indiano estabelece preços administrados que os processadores deverão pagar aos produtores pela compra da matéria-prima. Adicionalmente, o governo indiano implementa medidas de subsídios à exportação, com o objetivo de escoar a superprodução nacional decorrente da política de preço mínimo para cana. Entre essas medidas, destacam-se os subsídios de assistência vinculados ao desempenho exportador dos usineiros e os subsídios de transporte para facilitar a exportação de açúcar, frisou o ministério brasileiro. A pasta informou ainda que, em 2017, o Brasil exportou para a Índia US$ 924 milhões em açúcar, com crescimento de 4,5% em relação ao valor embarcado em 2016. Neste ano, de janeiro a novembro, as exportações foram de US$ 511 milhões, uma queda de quase 40% em relação a igual período do ano anterior. O pedido formal de consulta é uma fase de negociação, preliminar a uma investigação pela OMC. Caso um acordo não seja feito, o governo brasileiro ganha o direito de abrir um painel na OMC. O painel é a investigação, quando especialistas examinam as condições de comércio questionadas.

Cada saque terá uma tarifa de R$ 6,50. Nova função começa a ser testada com uma base de 10 mil cartões já neste ano. Logotipo do Nubank é fotografado na sede do banco, em São Paulo Paulo Whitaker/Reuters O Nubank anunciou nesta terça-feira (11) que passará a oferecer a função de débito para os novos cartões de seus clientes, ampliando o desafio aos grandes bancos de varejo no país. Segundo o sócio-fundador e presidente do Nubank, David Vélez, a função completa a oferta de serviços necessários para que clientes do varejo bancário migrem para plataformas inteiramente digitais. "Estamos aposentando a porta giratória das agências bancárias", disse Vélez ao fazer o anúncio a jornalistas. A empresa, que surgiu há alguns anos como a primeira plataforma 100% digital de cartões de crédito, lançou no ano passado uma conta de pagamentos, hoje com 2,5 milhões de clientes. Em cartões de crédito são 5 milhões de clientes. 'Estamos no primeiro minuto do primeiro tempo', diz fundador do Nubank Segundo a cofundadora do Nubank Cristina Junqueira, a expectativa da empresa é atingir "dezenas de milhões de desbancarizados no Brasil". A nova função começa a ser testada com uma base de 10 mil cartões já neste ano, inclusive para saques na rede 24 horas, a R$ 6,50 por operação. Até o momento, clientes do cartão de crédito já conseguiam fazer uso do serviço de saque, mas ele era restrito a 5% do limite disponível na função crédito. Para ter também a função de débito, os clientes receberão novos cartões, processo que Cristina afirmou que deve acontecer o mais rápido possível. Vélez adiantou ainda que a nova função permitirá que o Nubank comece a oferecer novos produtos bancários, como crédito pessoal, já a partir de 2019. Entrevista com presidente do Nubank

 Hollerbach, um dos sócios de Marcos Valério, foi condenado a 27 anos, quatro meses e 20 dias de prisão pelos crimes de corrupção ativa, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e peculato. Ramon Hollerbach na época da prisão em 2013 Reprodução/TV Globo O Supremo Tribunal Federal (STF) informou nesta terça-feira (31) que o ministro Edson Fachin rejeitou um pedido da defesa de Ramon Hollerbach para revisão criminal da pena na Ação Penal 470, o mensalão do PT. Ainda de acordo com o Supremo, os advogados de Hollerbach pretendiam desconstruir parte da condenação dele e absolver o publicitário, um dos sócios de Marcos Valério; ou como alternativa, tentaram a revisão da pena privativa de liberdade. A defesa alegou que, com a absolvição dos réus quanto ao crime de quadrilha, ficou definitivamente rechaçada a tese do mensalão, conforme o STF. O relator considerou que o pedido “não se funda em novas provas descobertas após a condenação, bem como que os argumentos e fatos que a defesa pretendeu comprovar não são aptos a desconstituir, ainda que parcialmente, o título condenatório”. O advogado Estevão Ferreira de Melo afirmou que vai recorrer da decisão, assim que for intimado oficialmente. Ele disse ainda que novas “provas robustas” foram apresentadas para a redução da pena e o ministro as desconsiderou. Ramon Hollerbach foi condenado a 27 anos, quatro meses e 20 dias de prisão pelos crimes de corrupção ativa, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e peculato no mensalão do PT cumpre pena na Associação de Proteção ao Condenado (Apac) de Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Banqueira foi condenada à prisão pelo tribunal, em 2012, no julgamento do mensalão. Benefício foi concedido pelo ministro Luís Roberto Barroso, responsável pela execução das penas. Kátia Rabello estava cumprindo prisão em regime aberto desde novembro do ano passado Reprodução/TV Globo O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu o benefício da liberdade condicional à ex-presidente do Banco Rural Kátia Rabello, condenada no julgamento do mensalão por lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta de instituição financeira e evasão de divisas. Kátia Rabello foi condenada pelos ministros do STF, em novembro de 2012, a 16 anos e 8 meses de prisão por formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e gestão fraudulenta de instituição financeira. Posteriormente, a Corte acolheu um recurso da defesa da banqueira e excluiu o crime de formação de quadrilha, cuja pena havia sido definida em 2 anos e três meses. Com esta mudança, a pena da ex-presidente do Banco Rural ficou fixada em 14 anos e 5 meses de prisão. Ela começou a cumprir a pena de 14 anos de prisão em novembro de 2013, progrediu para o semiaberto (no qual somente dorme na prisão) em dezembro de 2015 e passou para o regime aberto (onde cumpre pena fora da prisão) em novembro do ano passado. Na liberdade condicional, o condenado continua em liberdade até o final de sua pena, que pode ser extinta posteriormente se não voltar a cometer crimes e caso se apresente regularmente à Justiça. Relator da execução penal do processo do mensalão, o ministro Luís Roberto Barroso registrou na decisão que autorizou a ex-banqueira a cumprir prisão condicional que Rabello cumpriu todos os requisitos para obtenção do benefício, como, por exemplo, se sustentar com trabalho honesto. “Se trata de requerente primária e de bons antecedentes, havendo nos autos atestado carcerário emitido pelo Complexo Penitenciário Feminino de Belo Horizonte/MG, no sentido de que não consta registro de cometimento de falta disciplinar em desfavor da sentenciada”, escreveu o ministro em trecho da decisão.

Simone Vasconcelos foi condenada no julgamento do mensalão a 12 anos e 7 meses por corrupção, lavagem e evasão; MP recomendou benefício por bom comportamento. O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso concedeu liberdade condicional a Simone Vasconcelos, ex-funcionária de Marcos Valério, apontado como operador do esquema de corrupção conhecido como mensalão. Com a decisão, proferida na semana passada, Simone deixa de cumprir o restante da pena na prisão, desde que atenda a uma série de condições determinadas pela Justiça. No julgamento do mensalão, ela foi condenada a 12 anos, 7 meses e 20 dias de prisão. No início de novembro, já havia cumprido os requisitos para obter o livramento: passou 3 anos na prisão e trabalhou por quase 1 ano e 3 meses, obtendo redução no total da pena. O livramento condicional foi recomendado pelo próprio Ministério Público, responsável pela acusação. Além do tempo presa, Simone Vasconcelos recebeu atestado de bom comportamento no Complexo Penitenciário Feminino Estevão Pinto e de bom desempenho no trabalho. Desde julho de 2015, ela passou a trabalhar numa clínica de fisioterapia em Belo Horizonte. Por fim, a ex-funcionária de Marcos Valério apresentou uma carta de concessão de aposentadoria demonstrando que seria capaz de prover a própria subsistência. Condenada por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e evasão de divisas, Simone Vasconcelos se entregou à polícia em novembro de 2013, após a rejeição de recursos contra a condenação apresentados ao STF. Ela chegou a ser levada para Brasília, onde ficou detida até dezembro, quando foi transferida para a capital mineira.

Na primeira prova, tema foi a 'manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet'. O tema "Formas de organização da sociedade para o enfrentamento de problemas econômicos no Brasil" foi escolhido para a segunda aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018. Nesta terça (11) e quarta (12), quase três mil candidatos de 15 estados e do DF devem refazer o Enem após enfrentarem problemas na primeira aplicação, que ocorreu nos dias 4 e 11 de novembro. Initial plugin text Na primeira aplicação, o tema da redação foi a "manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet". Segunda aplicação Segundo o Inep, os estudantes que farão a segunda aplicação enfrentaram problemas logísticos como: erro na identificação do participante por documento apresentado; não cumprimento do tempo de prova previsto; eliminação indevida; erro na localização do participante no local provas; não atendimento aos recursos ou auxílios de acessibilidade solicitados; falta de energia elétrica; ocupação do local de provas; suspensão da aplicação por fenômenos naturais. Os locais com maior concentração de estudantes são: Franca (SP), com 996 inscritos Porto Nacional (TO), com 755 inscritos Araruama (RJ), com 461 inscritos Acopiara (CE), com 425 inscritos As regras da primeira aplicação continuam valendo para a segunda aplicação: o estudante deve comparecer ao local de prova antes do fechamento dos portões, não poderá fazer uso de eletrônicos, deverá portar caneta da cor preta e de tubo transparente. A prova da segunda aplicação contém questões e respostas diferentes da prova anterior, mas seguem o padrão da Teoria de Resposta ao Item (TRI), que permite nivelar a dificuldade e avaliar o conteúdo com o mesmo critério de dificuldade. Prova enem Divulgação

No período de 2007 a 2017, nível tecnológico registrou aumento de 119,4%. Veja cursos mais procurados. cursos tecnológicos variam de dois a três anos, mas são igualmente reconhecidos pelo MEC como graduação, podendo o aluno, depois de concluir, seguir direto para uma pós graduação, por exemplo. Divulgação O número de alunos que ingressaram em cursos de graduação tecnológica no Brasil cresceu 119,4% entre 2007 e 2017, de acordo com o Censo da Educação Superior. Foi a modalidade de educação superior que registrou o maior crescimento percentual no período. TESTE VOCACIONAL: com qual carreira você mais se identifica? Apesar de estar atrás dos cursos de bacharelado, que concentraram 60,1% dos ingressantes em 2017, e dos de licenciatura, que ficaram com 20,1%, os de grau tecnológico apresentaram o maior aumento percentual de procura. No Brasil, existem três modalidades de ensino superior. Bacharelado e licenciatura têm duração similar, de em média quatro anos, podendo chegar a seis. Já os cursos tecnológicos variam de dois a três anos, mas são igualmente reconhecidos pelo MEC como graduação, podendo o aluno, depois de concluir, seguir direto para uma pós graduação, por exemplo. O número de concluintes da modalidade tecnológica também dobrou no período, saltando de 84.341 em 2007 para 196.999 em 2017. Já as matrículas cresceram 140%. Em 2018, foram 310.226 inscrições para cursos de graduação tecnológica no Sisu. Mais da metade delas, 51%, se concentrou nos seguintes cursos: Análise e desenvolvimento de sistemas Gestão pública Alimentos Gestão ambiental Gestão de turismo Radiologia Logística Redes de computadores Automação industrial Sistemas para internet Dos 10 cursos mais procurados em 2016, apenas três aparecem nos preferidos do Sisu 2018. Gestão de recursos humanos, campeão do ranking há dois anos, e empreendedorismo, que ocupou o segundo lugar, foram dois dos que não entraram no top 10 do último Sisu. Análise e desenvolvimento de sistemas, o campeão em 2018, ocupava o terceiro lugar em 2016. Ranking de cursos tecnológicos em 2016 (redes pública e privada) Rede pública e privada A rede privada concentra a maior parte das matrículas em graduações tecnológicas. Além disso, o crescimento do número de matrículas em 10 anos também foi muito superior ao da rede pública. Enquanto no ensino particular foram 485.623 inscrições a mais desde 2007, no ensino público foram 98.884. No total, foram registrados 6.193 cursos de graduação tecnológica presencial em 2017. As faculdades concentram 45,7% dos cursos, seguidas das universidades, com 27,8%, depois dos centros universitários, com 18,2% e por último dos Institutos Federais e Cefets, com 8,3%. Em relação a 2007, houve um aumento de 2.421 cursos de educação tecnológica. Ensino a distância Das matrículas de cursos tecnológicos de 2017, mais de 46% foram em cursos a distância. Esse percentual era de 16,3% em 2007. Apesar do crescimento do número de cursos presenciais, e do fato de que eles concentram a maioria dos estudantes, desde 2013 as inscrições nessa modalidade apresentam queda. Enquanto no ensino a distância 396.682 novas matrículas foram feitas entre 2007 e 2017, no presencial o aumento foi de 187.785 inscrições. Isso significa que o ensino a distância cresceu mais de 586% em relação à variação que ocorreu com o presencial.

Portaria foi publicada nesta quarta (12) no Diário Oficial da União. Serão quase 10 mil vagas. O Ministério da Educação (MEC) reconheceu a criação de sete cursos a distância, com quase 10 mil vagas. A portaria foi publicada nesta quarta (12) no Diário Oficial da União. Confira abaixo: MEC reconhece cursos a distância

  • Error
  • Brasil
  • Mundo

RSS Error: A feed could not be found at http://www.foxsports.com.br/feeds/noticias/. A feed with an invalid mime type may fall victim to this error, or SimplePie was unable to auto-discover it.. Use force_feed() if you are certain this URL is a real feed.

Espetáculo será no dia 30 de setembro, no Teatro das Bacabeiras. Apresentação aposta na interação com o público para garantir risadas. Comediante Carlinhos Maia se apresentará pela primeira vez em Macapá no dia 2 de setembro Divulgação O alagoano Carlinhos Maia é um dos fenômenos das redes sociais, somando quase 10 milhões de seguidores no Instagram e Facebook. Conhecido pelos vídeos bem humorados, o artista estará no Amapá pela primeira vez no dia 30 de setembro, às 20h, no Teatro das Bacabeiras, no Centro de Macapá. O show havia sido marcado para o dia 2 de setembro, mas, por problemas de saúde da mãe dele, o artista anunciou o adiamento da apresentação através das próprias redes sociais. A organização do evento informou que os ingressos comprados anteriormente serão válidos para a nova data. A devolução do ingresso também está sendo feita. Maia se destacou na internet falando do seu dia a dia e assuntos cotidianos com irreverência, além de mostrar a convivência com os vizinhos na vila onde mora, na cidade de Penedo, em Alagoas. No show "Mas, Carlos!", que será apresentado na capital, o artista relata vários momentos de sua trajetória, até o sucesso com vídeos na web. Ele aposta na interação com o público para garantir risadas. Outro característica do show é que Maia conta, de forma bem humorada, um pouco sobre a vida de "digital influencer", que é uma espécie nova de celebridade. Marlon Santos, produtor do espetáculo, comenta que Maia é, atualmente, um dos maiores fenômenos das redes sociais e que o novo show dele é um dos mais procurados do país. "A motivação para trazer o Carlinhos [Maia] para Macapá é bem simples, ele está bombando nas redes sociais e todo mundo no país quer conhecer mais sobre ele, o que é justamente o que será apresentado no espetáculo", falou. Para garantir os ingressos antecipados, que custam de R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia). Serviço Espetáculo 'Mas, Carlos!' Data: 30 de setembro (domingo) Local: Teatro das Bacabeiras Hora: 20h Ingressos: R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia) Informações: (96) 98138-0887 Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

'Linda Rosa', 'João de Barro' e 'Shimbalaiê' fazem parte do repertório. Evento será realizado no dia 1º de setembro num espaço cultural na Zona Central de Macapá. Apresentação está marcada para o dia 1º de setembro, em um espaço cultural em Macapá Michele Maycoth/Arquivo Pessoal Interpretando sucessos de Maria Gadú, uma das relevações da MPB, a cantora amapaense Michele Maycoth prepara um show que promete embalar os apaixonados. A apresentação está marcada para o dia 1º de setembro, a partir das 20h, em um espaço cultural na Zona Central de Macapá. Com uma apresentação predominantemente acústica e intimista, a cantora espera estar mais próxima do público, principalmente para cantar junto com ela sucessos como "Linda Rosa", "João de Barro", "A História de Lilly Braun" e "Shimbalaiê". De acordo com a produção do show, Michele tocará durante mais de uma hora e também haverão participações especiais, entre elas, Alexandre Moraes, Erick Pureza e Nitai Silva. Os ingressos podem ser adquiridos em dois postos de vendas na Zona Central da capital e com a produção do show ao preço inicial de R$ 10. Sucessos como 'Linda Rosa', 'João de Barro' e 'Shimbalaiê' não vão ficar de fora do show Divulgação Serviço Michele Maycoth canta Maria Gadú Data: 1º de setembro (sábado) Hora: 20h Local: Quintal Walô 54 (Avenida José Antônio Siqueira, 1212, bairro Jesus de Nazaré) Ingressos: R$ 10 (1º lote) Postos de vendas: Norte Rock (Villa Nova Shopping); Quintal Walô 54 Informações e compra de ingressos: (96) 98142-0743 Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Mostra reúne 27 imagens do fotógrafo Floriano Lima. Vernissage acontece no dia 24 de agosto no Sesc Centro, em Macapá. Visitações seguem até 20 de setembro. Mostra 'Minha Aldeia' busca evidenciar as belezas escondidas na simplicidade da vida no Amapá Floriano Lima/Divulgação Com fotos de paisagens, cartões-postais e até mesmo de trabalhadores à beira do Rio Amazonas, o fotógrafo Floriano Lima reúne 27 imagens que retratam o cotidiano amapaense na exposição "Minha Aldeia". A mostra ficará aberta ao público de 27 de agosto a 20 de setembro, na unidade Centro do Serviço Social do Comércio (Sesc), em Macapá. O fotógrafo define não existir um tema específico na exposição, condição que deu a ele liberdade para retratar desde as fotos mais "clichês", até imagens comuns do dia a dia. "Sempre gostei de fotografar nossos cartões postais porque eles são muito bonitos e únicos. Então, por mais 'batidas' que pareçam, eles fazem parte da proposta da exposição", adiantou. Dormir na rede, trabalhar com embarcações ou até mesmo o céu no fim de tarde são inspirações para o fotógrafo, que diz buscar evidenciar as belezas escondidas na simplicidade. Todas as imagens foram feitas entre 2016 até este ano. Elas compõem fases da profissão de Floriano Lima, de 56 anos, que iniciou a fazer "clicks" aos 17. "Essas fotos são recentes e fazem parte da minha carreira profissional. Apesar de fotografar desde a adolescência, quando ganhei minha primeira câmera fotográfica, trabalho profissionalmente na área há cerca de 5 anos", contou. A vernissage da exposição acontece no dia 24 de agosto, às 19h público poderá prestigiar a mostra de segunda a sexta-feira, no horário das 9h às 11h e das 15 às 17h. Serviço Exposição fotográfica "Minha Aldeia" Data: vernissage 24 de agosto; visitações de 27 de agosto a 20 de setembro Hora: abertura 19h; visitações das 9h às 11h e das 15h às 17h Local: Sesc Centro Entrada: gratuita Fotógrafo reuniu 27 imagens para a mostra que acontece até o dia 20 de setembro Floriano Lima/Divulgação Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Espetáculo está marcado para os dias 16 e 17 de agosto, no Teatro das Bacabeiras. Adaptação amapaense vai regionalizar história original que é inglesa. Peça teatral 'Harry Potter e o Herdeiro Amaldiçoado' será nos dias 16 e 17 de agosto, em Macapá Google Inspirada na peça londrina que contou os acontecimentos 19 anos depois de "Harry Potter e as Relíquias da Morte", um grupo amapaense de teatro propõe uma adaptação do espetáculo que virou sucesso no Reino Unido e bateu recorde de bilheteria na Broadway. A apresentação acontece nos dias 16 e 17 de agosto, às 20h, no Teatro das Bacabeiras, no Centro de Macapá. Intitulado "Harry Potter e o Herdeiro Amaldiçoado: A Oitava História Dezenove Anos Depois", a peça do grupo "O Beco Teatral e o Projeto Literar Amapá" segue a estrutura do espetáculo londrino, com os protagonistas da saga mais velhos e focando a aventura nos filhos do feiticeiro. De acordo com um dos diretores da peça, Iury Laudrup, o trabalho foi regionalizado. "Nosso trabalho é adaptar, uma vez que a peça original tem mais de 5 horas de duração. Então, encurtamos a história e regionalizamos o roteiro para que nossa peça tenha sua própria identidade", ressaltou. O espetáculo amapaense conta com oito personagens no elenco principal e 12 pessoas na produção e terá uma hora e meia de duração. Os ingressos para o espetáculo podem ser adquiridos antecipadamente em três postos de vendas na Zona Central da capital, ao preço de R$ 15 + um quilo de alimento não perecível. História A montagem teatral continua a história de Harry Potter de onde o sétimo e último volume da saga de J.K. Rowling parou, com um enredo envolvendo um Harry adulto e o seu filho do meio, Alvo Severo. Ele também é pai de Tiago Sirius, o mais velho, e de Lília Luna, a caçula. Agora, Potter é um funcionário sobrecarregado de trabalho no Ministério da Magia, com três crianças em idade escolar. Ele "lida com um passado que se recusa a ficar no lugar ao qual pertence", diz um texto sobre a peça. Enquanto isso, Alvo, assim chamado em homenagem ao antigo diretor de Hogwarts e mentor de Harry, Alvo Dumbledore, se esforça para lidar com o peso do legado da família. Serviço "Harry Potter e o Herdeiro Amaldiçoado: A Oitava História Dezenove Anos Depois" Datas: 16 e 17 de agosto Local: Teatro das Bacabeiras (Rua Cândido Mendes, 1087 – Centro) Ingressos: R$15 + um quilo de alimento não perecível Postos de Venda: Livraria Acadêmica (Macapá Shopping - Piso L2); Amapanime Space (Avenida Vereador Orlando Pinto, Nº: 640F - Santa Rita); Parada do Cachorro Quente (Rua Odilardo Silva, Nº: 2289 - Centro) Informações: (96) 98128-4949 / (21) 96979-6812 Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Valores dos meios disponíveis na cidade variam de R$ 4,05 a R$ 15. Preço do transporte coletivo varia de acordo com forma de pagamento e para comunidades rurais TV Integração/Reprodução Quem mora em Divinópolis, no Centro-Oeste de Minas, e precisa se locomover conta, atualmente, com três empresas de aplicativos, ônibus, taxis e mototaxis à disposição. Mas, destas, qual a mais barata? O G1 fez um levantamento com todos os tipos de transporte disponíveis na cidade. Com base em uma viagem de dois quilômetros, o usuário gasta entre R$ 4,05, caso opte por ir de ônibus, a R$ 15 caso faça o trajeto em um táxi ou em dos aplicativo disponíveis na cidade. Ônibus Segundo a Prefeitura, o meio de transporte mais utilizado no município é o transporte público, que tem cerca de 80 mil usuários por dia. O valor das passagens, no entanto, varia. Atualmente, o transporte público municipal custa R$ 4,05 para pagamento em dinheiro e R$ 3,60 para pagamento via cartão de vale-transporte. Segundo a Prefeitura, a frota é de 153 ônibus na cidade. Destes, 144 fazem viagens diárias e outros nove funcionam como veículos reservas. Para as comunidades rurais, o preço varia de acordo com a distância da comunidade ao centro da cidade. Veja na tabela os preços: Preços de ônibus para comunidades rurais em Divinópolis Táxis e Mototáxis Segundo a Associação dos Taxistas de Divinópolis, o número de motoristas não acompanha o tamanho da população. Atualmente, existem 90 taxistas no município espalhados em pontos estratégicos da cidade como no Centro, rodoviária e próximo à supermercados. A associação, no entanto, afirma que os pontos são insuficientes e bairros mais afastados também deveriam ter a presença dos veículos. Atualmente, uma corrida do Centro até o bairro Niterói, com cerca de dois quilômetros de distância, custa, em média, R$ 15 dependendo da bandeira. Valor médio do táxi em Divinópolis para corrida de 2 km é de R$ 15 Reprodução/TV Integração Deste valor, R$ 4,50 são impostos que devem ser repassados ao município – o valor é, também, o valor inicial registrado no taxímetro, segundo a associação. O serviço de mototáxi foi regulamentado em agosto do ano passado e atualmente, segundo a Prefeitura, cerca de 60 mototaxistas atuam nas quatro empresas regularizadas no município. O preço das corridas, no entanto, é calculado pelos próprios motoristas e não é tabelado. Usando como parâmetro a distância levantada com o táxi, três mototaxistas da cidade afirmaram valores distintos para a corrida: o primeiro disse ao G1 que cobraria R$ 5. O segundo, R$ 7 e o terceiro cobraria R$ 10 pela corrida. Segundo a Prefeitura, a diferença é considerada normal porque os gastos do mototaxista varia de acordo com o tipo de moto conduzida por ele e, diferentemente dos táxis, o serviço não possui um valor mínimo estipulado. Mototáxi também apresenta variação no preço Reprodução/Tv Integração Aplicativos A cidade conta, ainda, com três opções de transporte por aplicativo: Uber, Go Car e Uper 7. Para usar o serviço, o usuário deve instalar os respectivos aplicativos em seu smartphone. Segundo um dos proprietários do Go Car, Bruno Alvim, a tarifa do serviço é cerca de 25% menor do que a cobrada pelos táxis. Atualmente, a empresa conta com cerca de 20 veículos pela cidade. No trajeto entre o Centro e o Bairro Niterói, por exemplo, a corrida ficaria em R$ 7. A Uper 7, empresa fundada em 2009, afirmou contar com cerca de 30 veículos cadastrados na cidade. Destes, a tarifa básica dos taxistas é mantida e cobra-se entre R$ 2,17 e R$ 2,50 por quilômetro, dependendo do tipo de veículo solicitado. O valor estimado pelo aplicativo no trajeto escolhido pelo G1 apontou o mesmo preço do táxi. A Uber, por sua vez, informou, por meio da assessoria, que divulga somente dados estaduais. Segundo a empresa, em Minas Gerais atualmente existem 35 mil motoristas atuando pelo aplicativo. Um motorista que faz corridas pelo aplicativo da Uber em Divinópolis, e que pediu para não ser identificado, revelou ao G1 que existe um grupo de mensagens instantâneas com os motoristas da empresa na cidade e que, atualmente, existem cerca de 60 pessoas. No trajeto calculado pela reportagem, a corrida ficaria em R$ 6,75. Contudo, o motorista alerta que o preço varia conforme o horário e a demanda dos usuários. Com relação ao transporte particular, Divinópolis conta atualmente com cerca de 125 mil veículos - uma média de dois habitantes por veículo.

Imigrante iraniano morreu congelado ao tentar cruzar a Sérvia agarrado a um caminhão. Jornada arriscada tem se tornado cada vez mais comum. Autoridades encontram corpo de imigrante iraniano morto enquanto tentava chegar à Sérvia BBC O iraniano Pedram tentou entrar ilegalmente na União Europeia agarrado à estrutura de um caminhão que cruzaria a Sérvia. Ele aparece num vídeo em que mostra a “carona perigosa” que se tornou comum entre migrantes. Assista ao vídeo. Rapaz iraniano morto congelado em floresta da Sérvia enquanto tentava imigrar para a Europa BBC Mas, seis semanas depois, foi encontrado morto. Durante a travessia, morreu congelado numa floresta sérvia. Pedram é só um dos milhares de iranianos que tentam migrar – muitas vezes recorrendo a meios arriscados. Mas por que a Sérvia virou o caminho? Mulher iraniana que fugiu para a União Europeia conversa sobre imigração BBC No ano passado, o governo sérvio permitiu a entrada de iranianos sem visto no país. O objetivo da medida era alavancar o turismo, mas ela foi cancelada depois que cerca de 10 mil iranianos decidiram ficar indefinidamente lá. Acredita-se que vários estivessem tentando entrar na União Europeia. Sumayeh e a sua família estão num campo de refugiados de Belgrado. Ela diz que vai tentar entrar ilegalmente no Reino Unido, apesar dos riscos. "Sempre que pego carona no caminhão, penso que vou morrer ou me libertar. É melhor do que ficar nessa prisão", explica.

Cohen se declarou culpado em escândalo envolvendo duas mulheres que tiveram suposto caso com Trump, além de ter mentido em acusações sobre a construção de um edifício do presidente na Rússia. Michael Cohen, ex-advogado de Trump, é escoltado após receber pena de 3 anos de prisão Shannon Stapleton/Reuters A Justiça dos Estados Unidos condenou Michael Cohen, ex-advogado do presidente Donald Trump, a 3 anos de prisão pelos crimes de violação às leis de financiamento de campanha eleitoral e falso testemunho ao Congresso norte-americano. Cohen assumiu a culpa no escândalo envolvendo a compra do silêncio de duas mulheres que supostamente tiveram relações com Trump. Ele pagou a atriz pornô Stormy Daniels e a ex-modelo da "Playboy" Karen Mcdougal para manterem silêncio sobre supostos relacionamentos com Trump e por evasão de divisas. Ex-advogado de Trump, Michael Cohen chega para julgamento nos EUA Jeenah Moon/Reuters Além disso, o ex-advogado se declarou culpado em outra acusação, feita pelo gabinete do procurador especial Robert Mueller. Cohen mentiu ao Congresso sobre discussões relacionadas à construção de um edifício das organizações Trump – a Trump Tower – em Moscou, capital da Rússia. Trump também sofre pressão dos oposicionistas porque o ex-chefe da campanha eleitoral do republicano em 2016, Paul Manafort, foi condenado à prisão por fraude. Manafort é alvo de investigação do gabinete de Mueller por ter facilitado suposto conluio com a Rússia na campanha do republicano. Quem é Michael Cohen? Michael Cohen, ex-advogado de Donald Trump, deixa corte em Nova York nesta quinta-feira (29) após declarar perante juiz que mentiu sobre projeto imobiliário na Rússia em depoimento ao Congresso americano em 2017 Andrew Kelly/Reuters Michael Cohen, de 52 anos, foi advogado de Trump e seu confidente durante anos. Depois, ele passou a aconselhar o presidente em negócios imobiliários e questões pessoais. Em julho, foi divulgado que o FBI apreendeu gravações de conversas de Trump e Cohen durante uma busca aos escritórios do advogado. Em um áudio revelado pela CNN, os dois discutem o pagamento que fariam para comprar os direitos sobre a história de Karem McDougal, uma das modelos com quem Trump teria se relacionado. Após a divulgação da existência dos áudios, Trump criticou o ex-advogado, dizendo ser inconcebível e "talvez ilegal" que um advogado grave o seu cliente.

Comboio levava cana no leste do país caribenho. Autoridades avaliam as causas do acidente. Duas pessoas morreram e três ficaram feridas nesta quarta-feira (12) depois que um trem carregado de cana descarrilou na província de La Romana, no leste da República Dominicana, informaram as autoridades. Os mortos foram identificados como Daniel de Jesús Payano, operador do trem, e seu ajudante Santos Jean Quiroz, de acordo com serviços de emergências do país caribenho. Initial plugin text Trem descarrila e mata 1 em Barcelona Os feridos receberam assistência em um centro médico da cidade. O descarrilamento ocorreu no começo desta manhã. Agentes do Sistema de Atendimento de Emergências, da Defesa Civil e da Polícia Nacional foram ao local logo cedo para prestar os atendimentos e investigar as causas do acidente. Explosão na República Dominicana Na quarta-feira da semana passada (5), uma explosão em uma fábrica de plástico deixou oito mortos e cerca de cem feridos em Santo Domingo, capital da República Dominicana – a última morte foi confirmada na terça-feira (11). Como havia escolas nas proximidades, crianças e adolescentes passaram dias sem aulas na região do acidente.

Envio de aeronaves com capacidade para transportar armas nucleares faz parte da estratégia de fortalecimento da aliança econômica-militar entre os dois países. O ministro da defesa venezuelano, Vladimir Padrino (segundo à esquerda) dá boas-vindas às aeronaves russas AFP A força aérea russa aterrissou nesta semana na Venezuela. Quatro aeronaves – incluindo dois bombardeiros Tupolev 160 (Tu-160), com capacidade para transportar armas nucleares – pousaram na segunda-feira no Aeroporto Internacional de Maiquetía Simón Bolívar, nos arredores de Caracas – em uma demonstração de apoio da Rússia ao governo do presidente Nicolás Maduro. O ministro da Defesa venezuelano, Vladimir Padrino, participou de um evento de boas-vindas às aeronaves e afirmou que elas fazem parte de exercícios de cooperação militar entre os dois países. "Estamos nos preparando para defender a Venezuela até o último momento caso seja necessário." "Vamos fazer isso com nossos amigos porque temos amigos no mundo que defendem relações respeitosas e de equilíbrio", completou. No domingo, Maduro afirmou que havia uma tentativa "coordenada diretamente pela Casa Branca de perturbar a vida democrática na Venezuela e tentar dar um golpe de Estado contra o governo constitucional, democrático e livre do país" em andamento. Padrino explicou que os aviões russos são "logísticos e bombardeiros" e acrescentou que ninguém deve se preocupar com a presença das aeronaves no país. "Somos construtores da paz, não da guerra", declarou. O embaixador da Rússia na Venezuela, Vladimir Zaemskiy, disse, por sua vez, que uma das áreas de cooperação entre os dois países é militar-técnica - e, segundo ele, "se desenvolveu de forma muito frutífera nos últimos anos". Aliança Maduro-Putin Nicolás Maduro e Vladimir Putin se cumprimentam em reunião em Moscou Maxim Shemetov/Reuters Um exercício militar conjunto foi anunciado poucos dias depois do encontro de Maduro com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, em Moscou. A reunião resultou na assinatura de contratos da ordem de US$ 6 bilhões em investimentos russos nas áreas de mineração e petróleo na Venezuela. Os dois países são aliados próximos de longa data. E o governo de Maduro, pressionado pelas sanções impostas pelos Estados Unidos e pela União Europeia contra o que consideram violações de direitos humanos na Venezuela, quer reforçar esses laços – incluída, aí, a frente militar. O embaixador da Rússia lembrou que a cooperação na área de defesa começou em 2005, quando Hugo Chávez era presidente. Mas o plano de ambos os governos agora é aprofundar essa relação. O ministro Padrino contou que Caracas aguarda a chegada de uma delegação russa com a qual devem discutir formas de fortalecer o arsenal das Forças Armadas venezuelanas – embora a difícil situação dos cofres públicos do país sul-americano, que vive a maior recessão de sua história, seja um obstáculo para a aquisição de armamentos mais sofisticados. Em meio à grave crise econômica, política e social que a Venezuela atravessa, especialistas ouvidos pela BBC News Mundo, serviço em espanhol da BBC, acreditam que a presença militar russa pode ter o objetivo de "desencorajar" terceiros a realizar "algum tipo de intervenção militar" no país. Mas, além de beneficiar a Venezuela, essa aliança também é considerada vital para o governo Putin, de acordo com os analistas. A anexação russa da Crimeia em 2014 foi duramente condenada por países ocidentais, gerando uma onda de sanções econômicas contra o país que continuam sendo renovadas. A partir daquele momento, as relações entre a Rússia e os EUA e a União Europeia se deterioraram drasticamente. E é nesse contexto que a Venezuela ganha uma importância especial. "(Moscou) está procurando países que ainda querem se relacionar com eles, e isso inclui a Venezuela", destaca Steven Pifer, ex-embaixador dos EUA na Ucrânia e pesquisador do centro de análises Brookings Institution. "O que o Kremlin quer é passar a imagem de uma Rússia que não está isolada, quando na verdade está." Ajudar econômica e militarmente a Venezuela - um dos poucos países que apoiaram a ação russa na Crimeia – serve para sustentar que "a Rússia tem conexões ao redor do mundo". O editor do serviço russo da BBC, Famil Ismailov, concorda e destaca outra vantagem para Putin ao apoiar Caracas: a imagem que pode vender dentro do país. "É muito importante mostrar ao público interno que, apesar das sanções, a Rússia cumpre seu papel de superpotência e tem países amigos. Vale a pena pagar por isso", explica Ismailov, fazendo referência a Putin. Uma 'provocação' aos EUA O envio das aeronaves para a Venezuela também serviria como um recado aos EUA, de acordo com especialistas. O governo russo criticou em diversas ocasiões a "interferência" dos EUA na Ucrânia e o envio de tropas americanas para o Mar Negro e o Báltico, como parte das operações da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). E mandar os bombardeiros para a Venezuela pode ser uma resposta, uma maneira de "colocar o dedo na ferida" dos EUA. "Parte da razão (para o envio dos bombardeiros) é treinar pilotos russos em voos de longa distância, outra parte é destinada simplesmente a irritar os Estados Unidos", afirma o ex-embaixador na Ucrânia. As autoridades americanas fizeram, por sua vez, críticas duras ao envio dos aviões. "A Rússia envia bombardeiros para a Venezuela e nós, um navio-hospital", afirmou o coronel Robert Manning, porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA. Venezuela chama de 'cínica' reação dos EUA Em entrevista coletiva no Pentágono, Manning se referiu ao USNS Comfort, que partiu em meados de outubro rumo à América Central e à América do Sul com a missão de oferecer ajuda humanitária aos refugiados venezuelanos. "O mais importante é que estamos ao lado do povo da Venezuela em um momento de necessidade", acrescentou. O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, afirmou que se trata de "dois governos corruptos esbanjando recursos públicos". Initial plugin text O governo russo classificou a declaração como "completamente inapropriada" e "pouco diplomática". Mas a Rússia não é a única a enviar jatos militares para outros países. Os EUA também mandaram aviões para seus aliados, incluindo a Ucrânia, cujas relações com Moscou permanecem tensas após a anexação da Crimeia. Tu-160 Os bombardeiros Tupolev 160 são conhecidos como 'cisnes brancos' na Rússia AFP Confira abaixo as principais características dos bombardeiros Tupolev 160: Conhecidos como Cisnes Brancos na Rússia, são aviões do tipo "swing-wing (de geometria variável)", com velocidade máxima duas vezes maior que a do som. A frota foi lançada em 1981, e modernizada em 2000. O alcance de voo é de cerca de 12 mil quilômetros e os aviões têm capacidade para transportar armamentos nucleares.

Autor do atentado, porém, não é imigrante, segundo autoridades francesas. Donald Trump fala a jornalistas na Casa Branca Jonathan Ernst/Reuters O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reagiu nesta quarta-feira (12) ao atentado a tiros que matou duas pessoas na noite de terça em Estrasburgo, na França. Pelo Twitter, o norte-americano disse que o governo vai "fortalecer ainda mais as fronteiras" e pressionou os líderes do Partido Democrata no Congresso para liberar verbas para a construção do muro na fronteira com o México. "Mais um péssimo ataque terrorista na França. Nós vamos fortalecer ainda mais nossas fronteiras. Chuck [Schumer] e Nancy [Pelosi] devem nos dar os votos para conseguirmos mais segurança na fronteira!", tuitou Trump. Initial plugin text Segundo autoridades francesas, o atirador, identificado como Chérif Chekatt de acordo com a Reuters, tem 27 condenações por crimes comuns cometidos na França, na Alemanha e na Suíça. Mas, apesar de constar na ficha criminal que ele atravessou as fronteiras entre os três países, Chérif cometeu o atentado na mesma Estrasburgo onde nasceu. Na mensagem, Trump pediu que Nancy Pelosi e Chuck Schumer, líderes da oposição na Câmara e no Senado, conseguissem votos para aprovar o orçamento suficiente para a obra do muro, uma das promessas de campanha do atual presidente. Também no Twitter, ele questionou o ex-presidente Barack Obama, do Partido Democrata. Initial plugin text "Os democratas e o [ex-] presidente Obama deram ao Irã US$ 150 bilhões e não conseguiram nada, mas não podem dar US$ 5 bilhões para a segurança nacional e um muro?", tuitou Trump. Bate boca na Casa Branca Trump e líderes da oposição discutem no salão oval diante da imprensa A declaração veio um dia depois de Trump bater boca com a liderança democrata no Salão Oval da Casa Branca, em Washington, em uma discussão sobre o orçamento dos EUA. O presidente, inclusive, ameaçou fechar o governo caso a oposição não aprove uma quantia suficiente para a construção do muro, uma das promessas de campanha do republicano. "Se não conseguir o que quero, fecharei o governo. Estou orgulhoso de fechar o governo devido à segurança fronteiriça. A honra desta vez será minha. Da última vez foi sua, desta vez será minha, eu fecharei", afirmou Trump a Schumer. Ao lado do vice-presidente Mike Pence, o presidente dos EUA, Donald Trump, reage contrariado durante conversa com a líder da minoria democrata na Câmara, Nancy Pelosi, durante encontro na Casa Branca, na terça-feira (11) AP Photo/Evan Vucci O Congresso deve aprovar novos fundos para o governo federal antes de 21 de dezembro, e Trump exigiu que nesse orçamento sejam incluídos US$ 5 bilhões para a construção do muro na fronteira com o México. Schumer e Pelosi compareceram nesta terça-feira à reunião com Trump com uma oferta de US$ 1,3 bilhão a serem aprovados para a segurança na fronteira, mas expressaram rejeição ao projeto do muro. "É gastar muito dinheiro e não resolver o problema", opinou Schumer sobre investir no muro.